O que pode estar impedindo sua gravidez? Conheça 3 exames que ajudam na avaliação

Quando a mulher decide ter uma gravidez, o maior desejo é que isso aconteça na primeira tentativa. No entanto, não é tão simples quanto parece. Mesmo um casal saudável pode demorar até um ano para conseguir engravidar. No entanto, a ansiedade muitas vezes toma conta do casal. É muito comum que os dois passem a se questionar se possuem algum problema de fertilidade.

Para manter a tranquilidade, uma boa opção é a realização de exames para medir o que pode estar impedindo a gravidez. Você sabe quais são? Saiba os três principais tipos de exames que você deve fazer para medir a sua fertilidade.

1. Exames de dosagem hormonal

Os hormônios têm relação direta com a fertilidade. Durante o ciclo menstrual, a mulher produz o estrogênio e a progesterona. O primeiro é essencial para a maturação do óvulo e a chegada do período fértil. O segundo ajuda o corpo a manter o endométrio para a chegada do óvulo fecundado.

Muitas mulheres possuem problemas para engravidar por conta de deficiência nesta produção hormonal. Por isso, é muito importante que a mulher faça exames endocrinológicos para avaliar esta situação. No entanto, não é só a mulher que pode ter problemas hormonais. O homem também deve fazer esse tipo de exame para avaliar sua saúde sexual. Isso porque a dosagem hormonal ajuda a detectar problemas na produção de espermatozoides.

2. Principais exames para detectar alterações físicas

Outro possível motivo que pode impedir a gravidez são alterações anatômicas no aparelho reprodutor. E isso vale tanto para as mulheres quanto para os homens. Algumas anomalias no útero, ovário ou trompas podem impedir que o embrião se fixe no útero. Entre os homens, algumas deficiências nos testículos podem impedir a fabricação de espermatozoides saudáveis.

Por estes motivos, as mulheres devem realizar exames como:

  • Ultrassom transvaginal – O ultrassom deve ser realizado com foco no tamanho dos ovários. Isso ajuda a investigar se a ovulação está ou não acontecendo. Também ajuda a verificar o momento no ciclo em que o óvulo maduro é liberado.
  • Histerossalpingografia – Exame de raio X que detecta disfuncionalidades nos órgãos reprodutores, como o útero e as trompas.
  • Biópsia de endométrio – Este exame um pouco mais invasivo permite a coleta de material de dentro do útero. A partir de sua análise é possível verificar se a mulher tem alguma alteração nessa membrana.

Já para os homens, os exames essenciais são:

  • Espermograma – Exame básico que permite uma avaliação da qualidade e quantidade dos espermatozoides. A análise é feita com a coleta de material ejaculatório.
  • Ultrassom – O ultrassom ajuda a detectar problemas anatômicos que podem causar problemas na produção dos espermatozoides. Os principais órgãos analisados são os testículos.

Além destes exames, o médico pode solicitar outros específicos dependendo do caso dos pacientes.

3. Exames genéticos

Outros exames que ajudam a detectar problemas de infertilidade são os de análise genética. Estes exames são especialmente indicados para quem tem histórico familiar de doenças hereditárias. Nesse caso, é colhida uma amostra de DNA para verificar alterações cromossômicas.

O casal pode ainda realizar testes para verificar a compatibilidade entre o óvulo e os espermatozoides. O chamado Exame Pós-Coito detecta se o muco do colo uterino é hostil ao esperma.

Caso você tenha problemas de infertilidade, conheça os tipos de tratamento mais adequados para o seu caso. Visite nosso site!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Post anterior
A fertilização em vitro não é um tratamento destinado apenas para infertilidade, essa tecnologia pode ser usada para tratar outros problemas. Conheça alguns deles!
Próximo post
Você já ouviu falar sobre infertilidade conjugal? 4 coisas que você deve saber!
Menu