GESTAÇÃO DE GÊMEOS: um desejo ou preocupação?

O casamento e o desejo de constituir filhos tem sido adiado pelos casais. Esse comportamento social não é uma realidade somente aqui no Brasil, mas em vários países. Consequentemente temos mulheres com idade mais avançada tentando conceber.  Situações como obesidade, diabetes e hipertensão arterial são mais frequentes nesses casais. Portanto, proporcionar gestações com possibilidade de evolução mais saudável e com menor risco de complicações é um dever que cabe aos pacientes e seus médicos.

Sabendo-se que muitos desses casais de idade mais avançada pode precisar recorrer à Fertilização In Vitro (FIV) para obter gestação, é fundamental planejar o tratamento para evitar complicações. Mais importante do que apenas pensar no teste de gravidez positivo, é ter como objetivo do tratamento o bebê nascido vivo, saudável em casa. Uma das maneiras de melhorar os resultados da FIV é aumentar o número de embriões transferidos, na tentativa de ter o embrião “certo” entre os escolhidos para a transferência.

A gestação múltipla é a maior complicação dos tratamentos de FIV pois está associada a maior risco de complicações para a mãe e o bebe. A gestação múltipla está associada a parto prematuro, baixo peso ao nascer, distúrbios respiratórios do recém-nascido, infecções e várias outras complicações a curto e longo prazo. Diabetes gestacional, pré-eclâmpsia, hemorragias durante o ciclo da gravidez, parto e pós-parto são algumas das complicações maternas, entre outras.

Controlar o número de embriões a serem transferidos na FIV é o fator mais importante na prevenção da gestação múltipla. Essa atitude cautelosa atende os interesses de Saúde Pública assim como atende o sonho da família por uma gestação, parto e bebe nascido com menos riscos.  Apesar da “magia” que sentimos quando vemos gêmeos saudáveis brincando na infância, vale lembrar que as complicações citadas acima chegam a ser cerca de 6 vezes mais frequentes neste tipo de gestação. A ingenuidade dos pais sobre essas informações muitas vezes leva o casal a pedir a seu médico: “doutor, sabemos que precisamos fazer a FIV e queremos ter gêmeos!”

Incentivar os tratamentos de FIV com transferência de somente 1 embrião em casais jovens e limitar a transferência de mais que 2 embriões para casos excepcionais são, no momento, as atitudes práticas mais simples e eficientes a serem adotadas na prevenção da gestação múltipla e suas complicações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Post anterior
Quanto tempo leva o embrião para se fixar no útero?
Próximo post
A segurança de fertilização in-vitro no Brasil
Menu