Fertilização in Vitro é um tratamento que pede paciência e perseverança

agosto 21, 2018
admin

gravida-borboleta-abre_0

Inicialmente as possibilidades de engravidar por meio da fertilização in vitro (FIV) eram menores que hoje. Melhorias nas técnicas de congelamento de óvulos e embriões, medicações mais purificadas, novos protocolos de indução de ovulação são fatores que tem contribuído nesses resultados. As chances estão ligadas a vários fatores e um dos principais refere-se à idade da paciente – quanto mais jovens as mulheres que tentam a FIV, melhores as taxas de sucesso.

Pacientes que começam um tratamento de fertilização precisam ser esclarecidas da chance de realmente serem mães por Fertilização in Vitro, mais do que da chance de gravidez em cada ciclo isolado do tratamento. A FIV é um tratamento continuado, ou seja, um processo com início, meio e fim.

 Chances de engravidar com a Fertilização in Vitro

Se a mulher tem 35% de chance de engravidar por tratamento, significa que em quatro tentativas esse número vai subir para perto de 80% – é o que chamamos de taxa de gravidez cumulativa. Sem dúvida todas as mulheres gostariam de engravidar após poucas tentativas de fertilização, mas nem sempre isso acontece. Por isso, é importante não se apegar às experiências que não deram certo, mas sim focar no tempo do tratamento, que pode durar alguns meses.

Há fatores que não são bons prognósticos: idade acima de 35 anos, alteração importante da qualidade do sêmen do marido, baixa reserva de óvulos, tempo prolongado de infertilidade (acima de quatro anos de tentativas sem sucesso). Tudo isso, e outros fatores mais, serão levados em conta na hora de estimar as possibilidades do casal ter um bebê.

O processo de Fertilização In Vitro exige paciência. Tudo nesse processo gera expectativa, desgaste emocional, uma mistura de sentimentos, como medo e ansiedade, que faz com que muitos desistam de continuar. Não é incomum, no entanto, que as pacientes decidam fazer novas tentativas, um, dois anos depois. O potencial de fertilidade pode ser ainda menor.

Vale lembrar ainda que falhas em tratamentos anteriores podem ser úteis para realizar ajustes de tentativas seguintes. Por isso, sugiro que vá até o fim do processo, com pausas entre as tentativas se achar necessário – e que as pausas não sejam longas. Só o suficiente para recobrar o ânimo e seguir na jornada. Boa sorte para as futuras mamães.

Comentários

comentário(s)

No comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *