Como o assisted hatching ajuda na implantação do embrião?

Com o desenvolvimento das tecnologias de reprodução assistida, muitos casais com dificuldade de engravidar podem ter mais chances de realizarem seu sonho. Saiba mais sobre o assisted hatching e como esta técnica ajuda na implantação do embrião no útero.

Como o assisted hatching pode ajudar o casal a engravidar?

Os motivos da dificuldade em engravidar podem ser diversos e vão desde questões genéticas até problemas adquiridos ao longo da vida. Entre as mulheres, boa parte das razões é: problemas nos hormônios da ovulação como o FSH e o LH, problemas de tireoide e doenças como endometriose e síndrome do ovário policístico.

Já entre os homens, geralmente os problemas têm origem na baixa quantidade ou má qualidade dos espermatozoides ou doenças como a varicocele. Há casos em que a origem da infertilidade está relacionada a doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) não tratadas. Para todos esses casos, podem existir técnicas de reprodução assistida para aumentar as chances de o casal engravidar.

O assisted hatching, também conhecido como eclosão assistida, é uma técnica utilizadas para facilitar a implantação do embrião no útero. Graças à tecnologia do laser, esse procedimento é inovador e prático. Veja abaixo como funciona:

Como o assisted hatching ajuda na implantação do embrião?

Para entender como a técnica do assisted hatching funciona, é preciso saber o que é a zona pelúcida, camada pela qual o embrião é revestido.

A zona pelúcida é uma película composta por glicoproteínas que têm uma função importante na fecundação. Essa camada permite que apenas um espermatozoide passe e fecunde o óvulo. Assim que a fecundação acontece, a zona pelúcida ajuda a evitar que outros espermatozoides entrem na região. Depois disso, o embrião deve sair dessa camada para se implantar.

Um dos motivos para a dificuldade na implantação pode ter alguma relação com a dificuldade de o embrião sair dessa zona pelúcida. É aí que a técnica do assisted hatching pode entrar e evitar esse tipo de problema.

Por meio da utilização do laser, este procedimento gera um afilamento na região da zona pelúcida do embrião. Ou seja, é realizada uma abertura nessa película. Isso acontece logo no momento em que ele será transferido para o útero, o que cria condições mais ideais para que o embrião se libere da zona pelúcida.

O assisted hatching existe desde os anos 1990 e de lá para cá muitos avanços fizeram com que a técnica tenha se tornado mais segura e eficaz. Existem outras formas de realizar o procedimento, mas o laser é um dos métodos mais avançados e eficientes.

Para quem é indicado o assisted hatching?

Geralmente, essa técnica é indicada quando os embriões tem a zona pelúcida espessa, falhas de implantação em tratamentos anteriores no tratamento de mulheres com idade avançada. É também indicado para facilitar a eclosão de embriões descongelados.

Se você tem interesse em conhecer outras técnicas de reprodução assistida, visite outros artigos do nosso blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Post anterior
Fertilização in vitro: Conheça as novas técnicas e seus avanços
Próximo post
Conheça os sinais que indicam o sucesso da inseminação
Menu