ARREPENDIMENTO DA VASECTOMIA: OPÇÕES PARA GRAVIDEZ APÓS O PROCEDIMENTO

Vasectomia é o método de esterilização cirúrgica masculina, voluntária, bastante aceito em nosso país. É raro o homem arrepender-se da vasectomia. Menos de 5% dos homens procuram a reversão do procedimento. Entretanto, fatores como cirurgia em idade jovem, mudança do estado conjugal gerando desejo de filhos ou apenas a mudança da opinião do casal com desejo de ter mais filhos pode gerar arrependimento.

Há duas formas de atingir gravidez após a vasectomia:

  • Cirurgia de reversão de vasectomia
  • Fertilização in vitro com captação de espermatozóides do epidídimo (PESA) ou testículo (TESA).

Existem prós e contras de ambos os procedimentos. Antes de decidir-se, é bastante indicado saber dados da saúde reprodutiva da esposa e qual o desejo do casal quanto ao número de filhos.

Um especialista em Reprodução pode avaliar a reserva ovariana, a permeabilidade das trompas uterinas e descartar a presença de anormalidades ginecológicas que se associam com diminuição da fertilidade feminina. Em condições ideais: mulheres jovens, sem situações que comprometam sua saúde reprodutiva e o desejo ter mais de um filho, podem conduzir a decisão para reversão da vasectomia.

Outro fator importante a ser considerado na decisão sobre reverter a vasectomia ou FIV é o tempo de vasectomia. Quando o tempo de vasectomia é menor que 3 anos as chances de sucesso da reversão e as taxas de gravidez tendem a ser melhores. Em contrapartida, quando a vasectomia tem 15 anos ou mais o sucesso e a taxa gravidez após a cirurgia de reversão são menores.

Outras considerações são os custos da cirurgia e eventuais riscos de qualquer procedimento cirúrgico como infecções e hemorragias.

Quando a opção é a Fertilização in Vitro o tratamento é conduzido de forma habitual. No dia da coleta de óvulos é também feita a coleta dos espermatozoides pela punção do epidídimo sob anestesia. As taxas de gestação são altas com a FIV a depender também da idade da mulher, quantidade de óvulos coletados e da qualidade do sêmen em função do tempo de vasectomia. Na FIV o casal tem também a possibilidade de realizar o rastreamento genético (teste pré gestacional – PGT) dos embriões antes da transferência para o útero. A realização do PGT tem indicações específicas e pode diminuir a chance de aborto e de defeitos cromossômicos do bebê nestes pacientes.

O casal deve procurar um médico de Reprodução para avaliar seu caso específico e aconselhar qual das alternativas parece ser a mais indicada naquele casal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Post anterior
PREVENÇÃO DO CÂNCER DE MAMA
Próximo post
Como interpretar o espemograma?
Menu