Problemas na tireóide e infertilidade: tudo a ver

outubro 28, 2016
admin
imagem-tireoide

Localizada na base frontal do pescoço, com formato de borboleta, a tireoide é uma glândula que, por meio da produção do hormônio T4, também chamado Tiroxina, funciona como uma espécie de computador que regula todo o metabolismo corporal, inclusive os mecanismos relacionados à infertilidade e à vida sexual. Seu excesso ou falta podem causar dois problemas que merecem especial atenção dos médicos.

Hipotireoidismo – É uma condição relativamente comum, em que as pessoas não dão importância aos sintomas que são: sonolência, indisposição, queda de cabelo, extremidades frias, aumento de peso, dificuldade de emagrecer, sensação de inchaço, cabelo e unhas quebradiças.

Mas, se não tratado, o problema pode levar à dificuldade de engravidar, descolamentos de placenta, abortos espontâneos, partos prematuros, estresse fetal e mortalidade intrauterina. E o mal funcionamento da tireoide afeta também homens Disfunção erétil e redução na produção de espermatozoides são as condições mais associadas ao sexo masculino.

O tratamento do hipotireoidismo é simples, com rápida melhora dos sintomas, o que faz com que haja uma fácil aderência. É feita a reposição hormonal diária via oral da tiroxina, além de uma dieta formada por alimentos ricos em iodo, selênio e vitamina B. Também é importante salientar que o tratamento é contínuo.

Na contramão da falta, o excesso – Uma tireoide hiperativa, com produção excessiva de T4 faz com que o metabolismo do corpo se acelere muito. Os sinais mais comuns incluem evacuações frequentes, perda de peso, ciclos irregulares, aumento do apetite, insônia, nervosismo, intolerância ao calor, tremores nas mãos e batimentos cardíacos acelerados.

O hipertireoidismo também pode impedir a ovulação e causar infertilidade. Mas o maior problema é que por estar com o metabolismo desequilibrado, há possiblidades de haver óbito fetal intraútero ou aborto espontâneo.

O tratamento é realizado da mesma forma que no hipotireoidismo, com medicamentos que diminuem a secreção hormonal da tireoide.

Comentários

comentário(s)

No comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>