O Mundo em comum das mães que amamentam

dezembro 08, 2014
admin
amamentando

A experiência de alimentar seu bebê é única para cada mãe. Existem pesquisas que evidenciam quais são os elementos da amamentação que são constantes no mundo e quais são as atitudes e hábitos que não são.

Uma delas avaliou 13.169 novas e futuras mães em nove países diferentes – Brasil, China, França, Alemanha, Hungria, México, Turquia, Reino Unido e Estados Unidos – para comparar as diferenças culturais nas atitudes em relação à amamentação.

Mães que não conseguem amamentar, e aquelas que optaram por não fazê-lo, são propensas a sentir a “culpa da mãe” como resultado. Se você está nessa situação, estatísticas mostram que 64 por cento das mães nos EUA e um gritante 93 por cento das mães no Brasil (assim como 91 por cento das mães na Turquia) também sentem essas dores de consciência.

Aqui estão listadas 8 das principais coisas que as mães que amamentam no mundo tem em comum.

6 a 12 meses é o tempo que leva para amamentar um bebê idealmente, de acordo com as mães no Brasil, China, Alemanha, Hungria, México, Reino Unido e Estados Unidos. Por sua vez as mães na Turquia preferem amamentar de 12 a 24 meses, enquanto as mães na França pensam que de três a seis meses sejam suficientes. (A AAP recomenda que os bebês sejam amamentados exclusivamente por 6 meses e, em seguida, que sejam nutridos em combinação com os alimentos, até que eles tenham pelo menos 12 meses).

45 por cento das mães residentes nos EUA considera que uma criança de 2 anos de idade é velha demais para ser amamentada. Mães na França, Alemanha, Hungria, México e Reino Unido concordam. Quase metade das mães na Turquia e no Brasil (a maioria dos votos) pensou que amamentar até os 2 anos de idade era “fantástico”.

Os benefícios para a saúde do bebê estão entre os maiores motivos pelos quais levam as mães amamentaram em todos os nove países.

93% das mães que residem nos EUA pensam que amamentar é a melhor maneira de alimentar seus bebês. Elas concordam com as mães no Brasil, China, França, Alemanha, Hungria, México, Turquia e Reino Unido.

A dor é a pior parte da amamentação para as mães no Brasil, França, Alemanha, México e EUA.

57% das mães nos EUA pensam que a amamentação em público é algo “perfeitamente natural”. Mães no Brasil, Alemanha, México, Turquia e Reino Unido concordam, porém foram as mães no Reino Unido que mostraram o maior apoio, 63 por cento a favor da prática. A discordância fica por quase metade das mães na China e na França que afirmam que amamentar em público é “embaraçoso”.

Ocasionalmente é a frequência com que as mães afirmam planejar extrair o leite materno no Brasil, China, França, Alemanha, México, Turquia, Reino Unido e EUA.

64 % das mães nos EUA sentem-se culpadas se não amamentarem. Igualmente as mães no Brasil, China, França, Hungria, México, Turquia e Reino Unido também sentem essa culpa.

Comentários

comentário(s)

No comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>