Liguei as trompas. Ainda posso ser mãe?

maio 11, 2017
admin

3-Liguei as trompas. Ainda posso ser mãe_site

Métodos contraceptivos permanentes, como a laqueadura, são muito comuns em mulheres que já têm dois ou mais filhos e não querem aumentar a família. No entanto, como a vida guarda surpresas, é possível que após uma separação e a posterior construção de um novo relacionamento, a mulher queira – ou até mesmo, o parceiro peça – um fruto desta nova etapa da vida. Diante destas duas situações e da grande vontade de ter um novo bebê, fica a pergunta: é possível reverter? A resposta é: sim, mas há algumas observações.

E tais “poréns” se referem a importantes fatores que não devem ser negligenciados no momento da reversão, tais como a idade da paciente e suas condições de saúde. Isto porque, especialmente, no caso das mulheres, após os 40, há uma queda considerável na qualidade das células reprodutivas, o que só acontece com homens a partir dos 60 anos.

Ou seja, quanto mais jovem uma mulher optar pela reversão, maiores as taxas de sucesso. Além disso, é preciso avaliar a técnica usada. As chances de reversão são bem maiores em caso de amarração ou grampeamento, no entanto, a estrutura deve estar intacta. Mas, se houve a retirada total, não há como realizar a reversão.

Mas, na impossibilidade de quaisquer um destes casos e quando o desejo do casal é de ter apenas mais um filho, uma boa opção é a fertilização in vitro (FIV). Realizado em clínicas como a Fertilivitá, o procedimento consiste na coleta de óvulos e espermatozoides, na fecundação realizada em laboratório e posterior transferência do embrião para o útero materno. (Veja o passo a passo da FIV AQUI < http://www.fertilivita.com.br/conheca-o-passo-a-passo-do-tratamento-de-fertilizacao-in-vitro-2/ )

O mais importante de tudo é, mais uma vez, ter em mente que a saúde e a idade da mulher devem ser levados em consideração. Veja mais informações no artigo Gravidez na maturidade. ( http://www.fertilivita.com.br/gravidez-na-maturidade-e-possivel-mas-oferece-riscos )

Comentários

comentário(s)

No comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>