Gravidez na maturidade: é possível, mas oferece riscos

maio 11, 2017
admin

2-Gravidez na maturidade é possível, mas oferece riscos_site

Quando o relógio biológico desperta, é quase impossível ignorar seu toque. No entanto, é cada vez maior o número de mulheres que, buscando a estabilidade financeira e a realização profissional, adiam o sonho de ser mãe para depois dos 40.

Mas esta idade fisiológica para a mulher traz algumas dificuldades e riscos.

Realizando o sonho

Após os 40, é possível, sim, ter uma gestação normal e dar luz a um bebê saudável e, para isso, há alternativas.  A primeira delas é, quando mais jovem, ao tomar a decisão de adiar a gravidez, a mulher deve procurar uma clínica de fertilização que oferece os serviços de congelamento de óvulos.

Outra opção também para aquelas que adiaram demais a gestação é a busca por doação de óvulos. Só podem ser candidatas à doação de óvulos pacientes com idade inferior a 25 anos, época em que os óvulos tendem a ter baixa taxa de anormalidades.

Passado o desafio da concepção, os cuidados com a saúde devem ser redobrados. É preciso monitorar a pressão arterial e o peso para evitar problemas tanto para mãe quanto para o bebê e, assim, a gravidez seja levada da forma mais tranquila possível e o parto seja um sucesso.

Gravidez é a realização de um sonho, um projeto de vida. E como todo projeto, exige planejamento, ponderação e checagem dos riscos, com um filho não é diferente, sobretudo se este vier em uma idade mais avançada.

Alertas

As probabilidades de uma gravidez “natural” são inversamente proporcionais à idade e diminuem ano a ano por conta da queda na produção de óvulos, ou queda na sua qualidade reprodutiva.

Outro ponto é que as mulheres mais velhas têm maior propensão a abortos espontâneos e geração de crianças com doenças cromossômicas, como a Síndrome de Down.

Além disso, há riscos inerentes à própria gestação, como diabetes gestacional e elevação da pressão arterial. Com isso, nascimentos prematuros e eclampsia encabeçam a lista de riscos para a mãe e para a criança.

Comentários

comentário(s)

No comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>