A felicidade e desafios de ter trigêmeos

abril 05, 2016
admin
bebes

Oswaldo e Márcia Gusman queriam muito ter um filho. Depois de 17 anos de casamento e muitas tentativas, resolveram partir para a fertilização. Chegaram a engravidar com o tratamento, mas a Márcia acabou sofrendo um aborto espontâneo. Com muita força de vontade decidiram seguir o tratamento, mas com um acordo mútuo. A última tentativa seria a sexta. Mas não tiveram um filho. Tiveram três.

“O dr. Marcelo Giacobbe nos informou que tinha três embriões de excelente qualidade em mãos e nos perguntou se assumiríamos com ele o risco de implantar os três. Como já era a sexta tentativa e já havíamos perdido um, resolvemos arriscar”. E deu certo. Os trigêmeos Luís Fernando, Ana Beatriz e Luís Henrique (nesta ordem de nascimento), vieram ao mundo no dia 23 de dezembro de 2015.

Veja abaixo os principais detalhes e curiosidades da trajetória do casal, da fertilização até hoje, depois de quatro meses do nascimento dos trigêmeos.

Fertilização e descoberta da gravidez

O tratamento sempre transcorreu dentro do normal. Por ter mais de 42 anos, a dificuldade de engravidar de Márcia é comum.

Depois dos procedimentos de fertilização, 10 dias depois fez um exame de sangue para detectar o nível de Beta HCG. O nível para uma gravidez única gira em torno de 200. O de Márcia pontava mais de 600. “Com este resultado vimos que o negócio era sério”, brinca Oswaldo. As suspeitas se confirmaram depois de 15 dias, quando os três pequenos (corações) apareceram na tela do ultrassom.

A gravidez

A gravidez de Márcia, para quem carrega trigêmeos, foi normal. Entre a 24ª e 28ª semanas, ela teve de ficar de repouso absoluto para não forçar muito o útero. Nas semanas seguintes, o repouso passou a ser moderado.

Nascimento e casos engraçados

Os bebês Gusman nasceram com saúde perfeita. Ficaram 18 dias na UTI da maternidade para ganhar peso. Neste período, casos engraçados. Para entrar na UTI da maternidade e ver os filhos, Oswaldo tinha de respeitar normas rígidas, como não circular pela UTI longe dos berços dos filhos. Um dia, o segurança chamou a enfermeira, porque estranhou um pai visitando várias crianças na UTI. “Calma, moço, ele é o pai de todas elas, tá tudo bem”.

Outro caso contato por Oswaldo foi quando do registro das crianças. “Você é despachante?”, perguntou a funcionária do cartório, estranhando a grande quantidade de papéis para o registro que Oswaldo levava.

Trigêmeos em casa

O orgulho e prazer do convívio com os trigêmeos é enorme na família Nogueira Gusman. Mas o trabalho é grande. Por isso eles estão morando na casa da mãe de Márcia, que ajuda a cuidar dos pequenos junto com a empregada da família.

Futuro

A pergunta é natural: “quando vocês vão voltar para a casa”. A sogra de um lado da sala responde: “nunca”. E a mãe completa: “Só Deus sabe”. Márcia está de licença do trabalho, Oswaldo está à frente de sua lanchonete e volta sempre rápido para casa para ajudar a cuidar da trupe.

Números da família Nogueira Gusman

Mais de 900 fraldas RN e 600 fraldas P usadas nos primeiros 100 dias de vida dos trigêmeos

Cerca de 50kg de leite em pó adquiridos e 40kg consumidos pelos dois Luís e a pequena Bia.

Comentários

comentário(s)

No comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>